29.1.14

nossa siora

achei tanto texto nesse computador que comecei a perguntar pruns amigos se são meus e não deles.
que loucura, vontade de postar tudo e nenhum

12.1.14

desacordar

vamos lá

há luzes de natal, uma fileira de garrafas e um tanto de cinzas em todo lugar. não há mais amarras brutas, só lapidação. terminei meu trabalho, que é meu e por enquanto é tudo que eu tenho pra chamar de meu.
isso e a pandora.
o que eu quero?
no caso eu preciso querer algo, de modo que o erro já começa antes.
primeiro hoje. depois a semana. depois o mês. depois o semestre. depois o ano.
na prática eu quero: ir a lugares que n sabia que existiam, comer comidas que eu n sabia que podia, falar palavras que eu n sabia que existiam, condições climáticas diferentes das minhas, gente diferente das minhas, lugares diferentes dos meus.
sounds like a
é preciso seriedade.
a rigor, estou faltando com o respeito devido.

meu trabalho teve uma repercussão inesperada.
minha banca foi formada por duas professoras da ufrgs.
na minha modesta opinião, ambas são geniais, cada uma a seu modo.
a faz leituras objetivas dos livros. encaixa personagens em rede e os submete a um contexto único, capaz de propiciar a narrativa chave que vem a possibilitar uma reinterpretação dos eventos empíricos, do nosso nível de experiência. ela se recusa a usar a palavra real (which reality? perguntou, e rimos juntos em acordo). ela disse que fui mordido pelo bichinho da metaficção, e que quando isso acontece não tem mais volta. ela acha que, se eu optar por pós, devo seguir nesse assunto porque consigo ser bastante didático na visualização dos diferentes níveis, e da maneira como eles se interpolam). b é respeitável. suas aulas são devaneios performáticos completos (e creio que ela odiaria ouvir isso, pois de fato a faz parecer uma atriz sem noção, ou pior, uma louca esquizofrênica). ela traz o livro pra dentro da sala de aula, a ambientação, os personagens, a linguagem, o tempo, o contexto histórico do tempo, as consequências dentro da ficção em decorrência do tempo. é a mestra do close reading, que muito usei no meu trabalho (umas 40 pg pelo menos. ela achou minha leitura muito madura, e que busquei um assunto muito complexo pra graduação, mas consegui me movimentar dentro dele sem grandes encalços).  fiquei extremamente lisonjeado de ser apreciado por ambas. eu tive a sorte de ter aula com as duas, e outras duas pessoas que foram fundamentais na minha capacidade e no meu interesse em ler um livro.

só que eu escrevi com muita informalidade, e isso é o que eu preciso corrigir.
ainda não sei como fazer isso, já que achei que a maneira que escrevi foi o melhor que eu podia fazer.
terei de refrasear afu.
se eu quero meu diploma, deveria estar mais preocupado com isso.

***

abdiquei da formatura.
hoje vou em uma.

achei muito dinheiro pra não ser gasto em coisas que eu n sabia que existiam, pessoas que eu n sabia que podiam ser como são, cores que n tem onde costumo olhar.

daí gabinetarei.
ainda n ajeitei isso tb.
se eu quero encerrar de vez meu vínculo com minha graduação, deveria estar mais preocupado com isso.

***

eventualmente devo voltar a dar aulas.
se quero continuar comendo e dormindo onde moro, deveria estar mais preocupado com isso.

***

contudo, finalmente cheguei aonde eu queria chegar, e sinceramente isso me faz esquecer o resto.

1. someone I love (will die) (2009)
2. had I known (2010)
3. odd path (2009)
4. brick heart (2009)
5. lazy heart (2011)
6. too late (2011)
7. ontem (2012)
8. ashes (2012)
9. don't be sad (2013)
10. all I wanted (2013)
11. bonus: love song (2008)

e teve mais um repe por aqui em algum lugar

esse é meu disco. eu canto, toco e escrevo todas as faixas. ele ainda não tem nome.
algumas dessas canções estão sendo ensaiadas por dois grupos diferentes.
metade delas começou a ser ensaiada para apresentação.

tem algumas demos na internet. a 3, a 7, a 8, e a 9 podem ser ouvidas nos links da lista.
coloquei pra facilitar o envio pra outros músicos e curiosos em geral.
essas músicas, da lista, são todas minhas, e pretendo formalizá-las ainda esse ano.
basicamente, esse é o meu projeto: gravar esse disco.
depois ele vai precisar de uma capa e de um site. e aí esse blog pode mudar um pouco.

esperei me formar. até então não havia tempo hábil.
agora não tem desculpa.

estou com um teclado midi, um computador com mil plugins, dois violões, uma guitarra e uma voz, que sou eu mesmo.

estou com um guitarrista que escreve e canta. ensaiamos duas ou três de suas músicas. ele tem um microfone, uma guitarra linda e maravilhosa, uma placa pra gravação de guita.

estou com uma vocalista que ensaia comigo há anos. ensaiamos uma música sua.

estou com um violonista que escreve muito bem. não consigo tocar nenhuma música dele.

estou com um baixista que curte produção e está se metendo com midis e vsts. tocamos mais de um ano na this is it, tocando covers de strokes, que eu nunca achei genial, por anos a fio.

em mente, um violinista e uma violoncelista.

o grande passo será dado em algum momento dessa semana, quando eu decidir comprar uma placa de som pra mim.

a princípio, farei tudo na minha casa. gravarei tudo o que precisar, e se os outros músicos quiserem gravar as suas respectivas partes, tanto melhor.

a princípio, essa meta fácil é a única coisa que eu quero que aconteça no meu dois mil e catorze.

o resto é trova.

***

os planos de sair viajando loucamente: plano a e b estão sendo investigados; c está em hiato indeterminado. Existe um d, mas eu nada sei a seu respeito. salvo o acaso, tudo isso será melhor avaliado por maio. até lá, a idéia segurar algum dinheiro.
mas confesso que isso está impossível.

***

eu ainda tenho uma formatura pra ir hoje.
continuo levando eras pra escrever pouquícssimo.

***

a música que mais ouvi hoje. umas 10 vezes.

mais drums

muito talento pra não ficar em casa quando sinto que devo
ontem eu fui comprar discos com um amigo.
depois casa dele. canhoto cavaquinista e seu bamba, música de terreiro da bahia e daqui, repentistas velhas e desbocadas, um ao vivo do helloween. haha
daí me direcionava pra casa de outro amigo, pra pegar uma placa de som.
no caminho, me ligam pra substituir OUTRO baterista (dessa vez n vi morrer)
topei. toquei funk-soul, rock-funk, soul-rock, se pá fusion. nunca tinha tocado nada disso. é muito bom pra improvisar.
hoje tem uma formatura no orfanatrófio, cujo nome quis descobrir do que se trata.
taí a chance. é a mesma coisa que orfanato. BORING

acho que só vou pra janta, malz



11.1.14

lovely

alls just fucckin lovely
aaaaahm
sophie and the dragon i mean, fuckin lovely

hj eu receby meu prymeiro melhor amigo na minha caza pela segunda vez em 1 ano
genial
foi a prymeira ves que meu apartamento concebeu pizzas completamente vegetarianas
nem gosto de escrever a respeito
medo de estragar
porém estou bêbado e valeu muito a pena
true love never dies
em nenhuma das partes
e isso que ficamos 2004-2012 sem contato
é pouco? pessoas devem muito aprendizado ao tempo, que ensina tudo que sabemos sobre tudo

ja contei a história do motoca que pensei que tinha morrido
então tá de boassa
toquei no lugar dele ontem

o set list
paralamos - eu quis dizer vc n quiis me escutar
jets - pan pananananaa
blietzkrieg biop - ng sabia que tinha um B na música
smells - foda
bom joevm-  its my life pq?
enjeinheiros - banda do refrigerane

na hora - foo fighters - tananananaaan learn to fly?
e outras pioresss

eu nunca tinha tocado com a rapaziada, mas se pá era o único que sabia as canções do começo ao fim
eehehhehehehehehheheheheehhe :/

hj recebi meu primero mejor amygo
porém 2004 - 3012 n vale a pena
mta coisa acontece né
na vida

inclusive se arrepender

9.1.14

hoje

qdo cheguei em casa tava só por postar mas n deu pq mão
meu dia foi mto mto mto legal
teve 82 horas!
teve cavalos, polícia, erva, orla de rio/lago com pedras colocadas pela mão do homem, mendigo, música ao ar livre, pó, passeio de carro noturno, café preto, suco de laranja, pampa burger 360g de carne + chimi churri, salada de repolho roxo com cenouras ao molho de beringela com cebola tudo com cheiro de carne, acidente de trânsito, panino, livros, hardware, sol, ônibus, tudo

quando a gente tava indo pegar cigarro no posto da joão pessoa com a venâncio, atravessamos no verde.
n vi que tava verde pros carros. tinha um taxi parado na faixa, pensei que era pq tava vermelho pra ele.
me dei conta no meio da faixa, e me desculpei com o segundo taxista, que aguardava nossa travessia. ele relevou.
4 segundos depois, no que pisamos na calçada, o estrondo, estilhaços reverberando, uma queda ao chão, um capacete preto que veio rolando até os nossos pés.
'o cara morreu', pq só podia ter morrido. n mexia um dedo.
'ta vivo', eu duvidava que estivesse.
a record chegou mais rápido que a samu, o hps a 3 quadras dali, uma linha reta do hospital até o acidente (lê-se venâncio aires).
a guria que bateu, gatíssima, tesa, esquia, como que aparentando uma frieza e uma segurança impossíveis.
'eu vou no meu carro pegar minha carteira e vcs falam pra ele o que viram'. 20 reais, isso é dinheiro que se apresente pra convencer um mendigo a dar depoimento pra polícia?
ela passou no vermelho pra ela. o motoqueiro avançou sobre o carro dela porque tava verde pra ele.
sabemos disso porque estava verde quando atravessamos - a mesma avenida de onde vinha o motoqueiro, sentido oposto. se tava verde na joao pessoa, que atravessamos e pela qual seguia o motoca, é porque tava vermelho pra mina. trouxona. mas me admirei da frieza dela.

pensei mesmo que ele tivesse morrido, minha noite quase desmoronou (mas a zuera...)
quando finalmente acordei, agora a pouco, 12 horas depois, me chamaram no chat do face
'pode tocar hoje de noite? nosso batera se acidentou e n vai poder tocar'.
'onde'
'cidade baixa'
'o acidente'
'cidade baixa'
'venancio com jp?'
'exato'
'eu tava lá, duas e pouco'
'logo depois do nosso ensaio'
'caralho, como ele tá?'
'n lembra de mta coisa, mas tá com o torax detonado'
'que bom que ele tá vivo, qual o setlist'?

daqui a pouco daí vou fazer a mão pro batera acidentado e sua banda

3.1.14

a vida imita skins

e esse é o resumo do trágico desfecho do meu aniversário.
estou sem palavras.