27.12.13

enquanto houver prazo

serei breve.
são quase 7, minha apresentação é às 10 no vale e não terminei o power point ainda.
ontem estava muito calor e não fiz nada.
mal lembrava do que eu tinha escrito no trabalho.
comecei mesmo às 11 da noite.
me confundi todo.
fiquei até às 3.
fui dormir pra acordar às 6.
esse foi meu despertador.
ouvi 3x seguidas
agora deu uma fluidinha.
se pá vai dar pra dar um nó.
e tirar um B.
acho que é isso.


26.12.13

calor

calor né pessoal? eu tô.
mas podia ser pior: eu poderia estar falando de calor no facebook e você poderia estar sendo forçado a ler sobre minha sensação térmica. como não postei, você não está lendo nada.
existe aquela teoria de que o brasil n vai pra frente pq é muito quente, e que outros países igualmente quentes também não incentivam suas gentes a ir pra frente. n sei se é particularidade do ocidente, nem sei se tem país quente no oriente.
enfim.
talvez isso seja verdade.
acaba privilegiando somente quem tem ar-condicionado, que por si só já é um privilégio de classe.
não? n sei, desculpa, tá calor, é simples de entender. estou tentando escrever slides, mas estou derretendo.
só de pensar que amanhã, caso esteja assim tão quente, eu não terei que fazer NADA a respeito do meu tcc NUNCA MAIS exceto o que me mandarem pra versão que vai pro banco de nunca lidos tccs da ufrgs, eu chego até a sentir menos calor.
mas aí passa, pq n terminei ainda.
quero ver qual vai ser a pauta desse blog quando n for mais natal (já n é) e eu n tiver mais que escrever  meu tcc (meio que já n tenho)

até lá feliz natau

realité

now lets get back to our realité amanhã eu tenho que começar e terminar o power point da minha apresentação suponho que sejam 10 minutos são 5 capítulos o que dá uns 2 minutos pra cada tópico amanhã é dia da última ritalina não-recreativa assisti brosson. do mesmo diretor de drive. não chega à metade em roteiro, e é um pouco surreal pra um filme baseado em fatos reais. mas sequer lembro o último filme que vi. aquele argentino que se passa na universidade de direito de buenos aires, talvez. nem lembro o nome. que foi bom até a penultima cena. eu não tenho o menor critério pra achar um filme bom. tentarei novamente ano que vem. hoje fracassei em instalar coisas no meu computador, dessa vez coisas de gravação. preciso melhorar nisso. não aguento tomar pau pra computador. pelo menos estou relativamente bem, apesar de minha cozinha parecer ter sido devastada por subhumanos esfomeados. ainda não botei a lâmpada no banheiro. por enquanto só deixo os fatos, a reflexoa é com vc vc vc vc vc feliz natal todo dia é natal

---

bronson é dirigido pelo mesmo cara que fez drive, esse sim, genial.
nada a ver com tese sobre um suicídio, o tal argentino ao qual me referi.

sempre esqueço que n dá pra escrever em html pq esqueço dos enter.
mas n é como se eu fosse arrumar.
o dia virou. preciso trabalhar.
go go liberdade.
só falta eu ser aprovado daí.

25.12.13

é natal :D

sério o lance do jogo saint seiya online tipo realização de um sonho só que eu nunca joguei online. baixei aqui assim depois de uma insistência mental de uma nostalgia brutal de vencer o mal com os cavaleiros. e também do meu sobrinho de 9 anos, que é fanático por cavaleiros, o que pra mim é um teto, já que eu também som, e ambos pelo mesmo motivo: as armaduras, e os bonecos com armaduras. enfim. daí era tudo em chinês. tudo. desde o site onde eu tive que criar um login tenso até a tela inicial do jogo de 6,2 gb. é um arquivo em chinês. tudo em chinês. do site ao jogo. e um jogo dos cavaleiros não é um jogo do batman. é um jogo dos cavaleiros. eu ficava clicando em tudo pra ver se rolava um game mas não. assisti tutoriais de caras que estariam instalando e iriam estar clicando até que eu cliquei num negócio e meu monitor desligou, e eu dormi 4 horas seguidas e acordei perturbadíssimo tenso, mexi nuns cabos e me liguei que eu acabei chutando um deles, mas tenso igual. hahaha sempre temo softwares que queimem os periféricos e atinjam o usuários ok flw - esse ano rolou fazer som como ha muito. nao consigo lembrar o nome da minha primeira banda, mas era tensa, 2001 metal creator, 2003 daí em poa eject/ignatus, 2003-2004 flaming first/flaming heart, 2004 - 2006 route 69, 2007 devils, 2007 - 2013 this is it, 2012 comuera, 2013 e a grandiosa summer rust and the brunation hohoho, 2014! - esse ano toquei na casa de cultura com a comuera. foi bonito. tocamos the xx, belle and sebastian, kings of convenience, raveonettes, delays, caetano e nossas canções no entremeio. foi divertido. também toquei em santa catarina com a devils. foi cansativo, mas foi divertido. toquei no motoclube dos mutantes. foi massa. e acho que foi só isso. talvez um luau na praia no ano novo, se tudo der certo. - comecei esse post ontem mas terminei agora de manhã. é natal! vim pra escrever um post novo, mas aí esse tava pela metade e fiquei com pena de botar fora. pensei em engordar esse post com links para os eventos acima referidos, mas naaaaaaaaaah. estou ouvindo o I'm Wide Awake This Morning, do Bright Eyes, que é um disco lindo e cheio de amor e um tanto sofrido como o natal. aí teve os fogos e eu voltei pra casa porque fiquei com pena da minha gata por causa dos fogos de artifício. no fim me arrependi. não tem nada pra comer além de pão com margarina e café com leite, não tem nada aberto. de modo que, no dia do nascimento de jesus, terei um desjejum humilde como manda o espírito do natal. feliz natal

24.12.13

FILIS ZATAL

oi,
ano passado desperdicei meu post de natal tentando ser legal no facebook.
esse ano serei legal comigo mesmo e com você.
música pra alegrar, ou deprimir, o seu natal, here we go.
infelizmente não fiz a playlist num programa de fazer playlist, o que quer dizer que você não vai ouvir essas canções maravilhosas com guizos.
mas foda-se.



See that people smile when you're near
If they don't like you screw them
Don't leave your fortune to them





All the lights are coming down, now
How I wish that it could snow, now (SÓ QUE NUNCA)
I don't feel like going home, now
I wish that I could stay (exceto pelo fato de que tá 39 graus dentro do meu apartamento)


The streets are bathed in the anemic glow (viamão)
(...)
I’m gonna need a ride home (eu, hoje) catatônico de calor. ainda tenho que montar meu power point. minha defesa é sexta. estou nervoso, principalmente pq ainda não fiz meu powerpoint. no entanto, hoje passei um bom pedaço da tarde (30 minutos) tentando instalar um jogo online em chinês. resultado: exatamente o que eu temia fazer: meu monitor parou de funcionar (!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!) voltou, já. na real eu chutei alguma coisa. natal é foda. presentes são foda. era pra ser divertido? eu me vendo total pra linha coca-cola de pensamento natalino. mas não dá. tá cada vez pior. o resquício de nostalgia natalina me põe mais e mais pra baixo a cada vez que penso a respeito. preciso tomar banho, minha carona tá vindo. ontem coloquei luzes no meu apartamento. ficou excelente. tomara que minha gata não devore. claro que natal quando se é criança é uma enxurrada de especiais em todos os canais que já não se assiste quando se é adulto. é uma expectativa muito maior para os presentes. e o resto é balela. agora somos só balela e culpa. um dia farei um post animado no natal. feliz natal.

20.12.13

novela do dia

comer (O QUE?)
re-imprimir (POR CAUSA DE UM ENTER)
entregar (AONDE?)

ao filho desolador

temos um ano a nossas costas
vir, virar e ver
não são feitas de respostas nossas lâminas opostas ao que viu e ao que vier

de todo um feito
talvez eu troque de lugar, ou faça um segundo, quarto blog
é uma plataforms novinha que vi que é só o texto e só
é bem bonito

esse ano eu escrevi um tcc
ele se chama nononono nonononn: nononononn on onono nonononon nonon onnono
o fim

esse ano li o ensaio sobre a cegueira, e acho que foi tudo? e everything is illuminated 40x,
li teoria de metaficção ás ganha
patricia waugh, linda hutcheon (narssississtic literature é genial), calvino (finalmente usei o levels of reality in literature) e o gustavo bernardo da ufrj que se pilha muito nas metaficção

meus olhos doem muito, estão secos, embaçados e caídos

ano novo é ano de copa do mundo no país do futebol e o país está contidamente revoltado
vamos a uma retrospectiva

o povo enlouqueceu com o tatu, que era da copa e da coca, e estava num espaço público
polícia reprimiu
a passagem aumentou
a população se botou
a polícia reprimiu
a população se botou mais ainda e o tatu furado se desfez numa nuvem de gás lacrimogêneo
a passagem baixou
a população entrou numa vibe celebrar a conquista por protestos com protestos
a polícia reprimiu
a população foi taxada de ignorante, se manifestando por múltiplas causas, disseram que isso é coisa da direita, que o regime militar também não era a favor de nada
as manifestações começaram a reduzir em frequencia
nisso porto alegre aparece visivelmente afundada em obras urbanas (mil estradas e pontes e beira rio)
as pessoas despilharam de se manifestar
holanda, coréia, argentina, nigéria? vão jogar em porto alegre em 2014
as pessoas estão fazendo eventos em espaços públicos.

balanço geral: vai ter copa, e o anticopismo das manifestações, que foi alvo das críticas - como foi a corrupção e outras justificativas 'abstratas' - de quem acha que manifestações tem q foi uma parte necessária frente a um destino inexorável: a copa viria, virá e, no fim do ano que vem, terá vindo.
MAS as pessoas estão ocupando, à noite
largo vivo, que n entendi ainda se é o tutti
gasômetro nas quadras
redenção à noite
o que é muito afudê.
tá rolando uma ciclovia lá pela independência, na barros cassal

a crítica: não é bem planejado, vide churrasqueira na ipiranga
a oposição: cria-se espaço para replanejamento
a educação: o erro também é aprendizado
a história: o caminho natural é a naturalização da vontade social. querem ciclovias melhores, elas virão.
a religião: o papa veio no brasil?

eu acho que ano que vem vai ser muito afudê
vai rolar muita treta com a copa do mundo
vai rolar uns gás

e acho que saber disso deveria alertar as pessoas pra não cometer os mesmos erros desse ano.
não adianta se manifestar: tem que matar, sequestrar e botar um nível íntimo de pressão no poder.
e ainda assim com a consciência de que a tomada do poder também vira poder.

acho que intervenções sociais deveriam ser o guia metodológico de diálogo com o poder.
a galera ocupa uns bagulho, oficializa a intenção, manda pro órgão competente e ocupa os bagulho de novo
um ritual

esse ano foi massa porque dei aula pra vários alunos de faculdade.
dei aula na ufrgs.
dei aula pra doutorandos.

nessa época dos protestos, trocava uma idéia com todos.
era genial porque vários protestos estavam rolando em vários lugares diferentes.

abandonar o facebook é uma possibilidade
trocar o blog de lugar ou criar um novo é uma possibilidade
dar um shift fodido na minha vida é uma possibilidade

feliz natal




16.12.13

freedom is there for those who care

n sei se o maltrato do pago
já virou caminho
minha urgência implacável
agora é lisura de espírito

6.12.13

eu trago as palavras

e quando o cigarro acaba, as palavras também

3.12.13

brief

hear these words I say:
make the most out of your day
for brief is the light and brief is the time that
we'll have to stay.

terminei coisa nenhuma. 3 de dezembro and counting.

1.12.13

de ontem

voltei pra dizer que voltei

quero acreditar que estou conseguindo me endereçar ao fim do meu trabalho.
quero poder escrever assim

tô quase acabando meu tcc

por que não consigo dizer isso?

muito estranho

estou quase terminando meu tcc
só que não

estou quase ter

what a good night to post smtg

afinal trata-se apenas da noite anterior ao prazo final do término do meu tcc inconcluso,
precisava registrar aqui a minha virtuosa procrastinação
eu já tenho uma definição de objeto fundamental (n direi o nome pq WHO CARES)
eu já tenho 2/3 de análise da obra
eu já sei de onde tirar a contextualização do autor (de modo que não fiz ainda)
e eu tenho um fluxuograma da minha análise final que não faz o menor sentido
de modo que tudo vai bem no meu sophomore
eu nem estou tão exaurido assim, posso aguentar mais um pouco
tem muito pornô na internet a ser criticamente avaliado
tem muito disco a ser baixado, apreciado e deletado
tem muito post pra curtir
tem muito gif pra ver e rir
tem muita foto pra ridicularizar
tem muito mate pra tomar
tem muita gente pra falar
tem um mundo a se saber

liguei pro meu pai, ele estava chateado, me mandou eu terminar essa bosta e ser feliz de uma vez
ai papai, não fique assim, sabe
eu também não serei feliz
e olha o lado bom
eu nem cheguei a me iludir

essa semana faz um ano que me mudei, eu acho,
mesmo clima do ano passado - correndo atrás da maneira mais apropriada de explicar um fenômeno metaficcional
ops falei

nem sei por que gosto tando disso

queria que esse poste saísse em html
um dia aprenderei

é que é tão incrível
você acha que tem absoluto controle da história que lê
e de repente seu referencial de verdade/ficção se perde abruptamente
e tudo o que você tinha lido até então
é relegado a um status mais mentiroso do que antes
você já sabia que era mentira
mas mesmo assim você se sente enganado
pq pq pq pq pq pq pq
se eu responder isso já me basto na vida
mas não no tcc

pandora derrubou uma moeda
tomei um susto

uma moeda
um susto

qual o nível desse silêncio que uma moeda me assusta?

qual o nível dessa ficção que de repente parece mentira?

-

o problema, meu filho, não é o que é narrado
mas sim quem narra
o conflito jaz misterioso
na voz do narrador

-

em 1), o narrador narra bonito a vida da família dele
em 2), outro narrador

-

o problema já está aí de cara
mais uma vez

-

em 1), um narrador narra bonito a história do seu povinho e vai mandando o que escreve pro segundo narrador (de 2))
em 2), outro narrador narra bonito o encontro com o primeiro e vai mandando o que escreve pro (1))
em 3), o narrador em *2)* manda cartas

-

tá tudo errado
mas a ritalina ainda tá pegando
o único problema é a fome
tem a tele do papa léguas
e tb do pampa burger
tem até coca na geladeira
-

acho que a mulher que ta me cadastrando n acredita que meu nome é sério

-

na verdade ela nao sabia soletrar meu endereço
washington
eu tb não sei às vezes

-

vamos lá

-

só consigo pensar no lobisomem do arvoredo

-

o livro discute a memória do holocausto no presente. pra isso, o autor lança mão (quem é que usa lança mão?) de dois narradores, A e B, que apresentam uma série de características em comum: ambos tem a mesma idade, ambos são narradores (!!!), ambos tem uma linhagem masculina composta por homens que levavam o mesmo nome, ambos tem um avô com um passado tenso em relação ao holocausto. essa foi uma maneira que o narrador encontrou para narrar problematizar a narração do holocausto sob o olhar dos dois lados da moeda - o do judeu A e o do gentil B. narrar talvez tenha sido sua primeira investida, mas aí não deu, e creio que tenha sido aí que o livro tenha virado uma mímese de processo, e não mais de produto, ou seja, uma reprodução do conflituoso processo de se narrar a história a que se propõe, ao invés de uma reprodução de uma história em si.



na cronologia:
primeiro eles viajam, 3 de julho de 97.
na viagem, A vai em busca de suas raízes num lugar obsoleto na Ucrânia que foi dizimado pelos nazistas e de onde seu avô foi um dos únicos a sobreviver. uma vítima.
A é um 'escritor' americano que pretende escrever algo a respeito do tal lugar obsoleto.

B é seu tradutor e seu avô é o motorista. lá, eles descobrem que o vô de B mandou um judeu pro fogo pra salvar sua própria família. um culpado.
B é um piá pobre com um pai bêbado e um avô louco que diz que é cego num país pós-soviético corrupto fodido que, deslumbrado com novidade da situação, acaba vendo em A um modelo de sucesso e nos eua uma salvação.

daí eles voltam pra casa.

aparentemente, fica acertado que A e B iam começar a escrever cada um um livro relacionado com alguma coisa da viagem.
esse momento do acerto não é descrito no livro, mas inferido pelo leitor, no caso eu.


daíííí o livro começa.
o livro abre com o primeiro capítulo do livro de B, escrito num suposto ingês-ucraniano tenso, que visa contar os eventos da viagem, sob supervisão de A. o capítulo contém metacomentários endereçados a A.
daí A manda dois capítulos, decerto junto com uma carta, mas que não aparece no livro, assim como nenhuma das outras.
daí B manda uma carta comentando os capítulos de A, os seus próprios, a relação conflituosa com o pai, e mais um capítulo.
daí A manda mais 3 capítulos.
daí B manda outra carta e mais um capítulo.
daí A manda mais 3 capítulos.
daí B manda outra carta e mais um capítulo.
daí A manda mais 1 capítulo.
daí B manda outra carta e mais um capítulo.
daí A manda mais 3 capítulos.
daí B manda outra carta e mais um capítulo.
daí A manda mais 1 capítulo.
daí B manda outra carta e mais um capítulo.
daí A manda mais 1 capítulo.
daí B manda outra carta e mais um capítulo.
daí A manda mais 4 capítulos.
daí B manda a última carta.

e o livro acaba.

o montante que compõe o livro fica assim:

8 capítulos de B
8 cartas de B
18 capítulos de A


-
meu pampa burger levou 1 hora pra chegar e 5 minutos pra ser devorado

-
ok, amanhã eu juro que volto
n tenho escolha